E o trem do futuro chegou. E fez barulho!

E, de repente, o futuro, que insistentemente batia à nossa porta, como que infectado por um vírus letal, chutou o pau da barraca, quebrou a porta e invadiu a nossa vida da noite pro dia.


De uma hora pra outra todo mundo se transformou em Silvio Santos e, diante de um auditório ávido por informações, as lives se propagaram trazendo notícia, ensinamento, papo sério, ministro da saúde, presidente da república, presidiário dando pitaco e até a Igreja.


Nunca a famosa frase do Chacrinha, Velho Guerreiro, foi mais atual: “quem não se comunica, se estrumbica.”


O controle remoto agora não é mais o da televisão. O celular controla a sua vida a cada touch, a cada passada de dedo pro lado, prá cima, prá baixo.


A disruptura, a cocriação, o mundo vuca, a mente ilimitada, o reset na vida, o homeoffice, os sistemas adaptativos complexos, a telemedicina, a teleentrega, o teletrabaho, o teletratamento, a telereabilitação, a tele Visão. Tudo virou tele na palma da mão.


Aqueles que esperneavam diante de tantas possibilidades, mas que sempre encontravam uma brecha ética, moral, legal ou institucional, tiveram que se render e aceitar a tele vida.


O ideograma chinês para crise é o mesmo para oportunidade. Na parte superior Crise, na parte inferior Oportunidade. Infelizmente foi necessária uma crise de âmbito global para que percebêssemos a infinidade de oportunidades que a nossa mente limitada insistia em não enxergar.


No futuro quatro pessoas estarão conversando sobre o que vivemos hoje.


A primeira contará que viu um enorme trem passar, fazendo muito alvoroço e barulho. Era grande, mas passou. E ele, que estava ali olhando, viu passar, virou as costas e continuou o que fazia.


O segundo, ao ver o trem, se apressou em entrar nele. Sentou em um dos melhores lugares que encontrou e, feliz, foi para onde o trem levou.


O terceiro, era o maquinista. Feliz por conduzir e domar tão grande fera. Sabia para onde iria. A paisagem era nova, mas o destino era certo. Sabia que suas decisões envolviam a vida de tantos que estavam fora e dentro do trem.


O quarto, estava muito à frente do trem, abrindo caminho, quebrando pedras, aplainando pradarias, desviando rios. Ele era um construtor de trilhos.


E quer saber, nenhuma das posições acima é a mais correta ou errada.


Desde que você entenda e esteja cumprindo o seu propósito, a posição em que você está é o melhor lugar do mundo.

46 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo